Apesar da enorme parte da população de consumo não saber, o campo de engenharia de hardware vem enfrentando o dilema: dela é demandada equipamentos cada vez menores, mais rápidos e com menor consumo elétrico; chips e processadores são feitos de silício, material esse que está chegando ao seu limite, pois não é possível utilizá-lo na construção de equipamentos cada vez menores – já atravessando a barreira dos 22 nanometros (um bilionésimo de metro). O grafeno é um material encontrado no grafite e em outros compostos do carbono, que mesmo em escala atômica, é muito estável e resistente, e de acordo com pesquisas, vem se mostrando a chave para transistores cada vez menores já que demonstra ser muito mais eficiente que o silício.

Assim um time de pesquisas da IBM construiu o primeiro circuito em que todos os seus componentes (incluindo indutores e aqui, um transistor de grafeno) em apenas um wafer, um conjunto menor do que um grão de sal (é pequeno, mas ainda é uma estrutura simples em escala computacional). As vantagens são enormes, indo de tamanho até o consumo elétrico. Os cientistas fizeram operações e já admitem que grandes avanços podem ser feitos com base no material. Caso tenha interesse em uma leitura mais técnica, basta seguir o link da fonte da noticia.

Fonte: Sciencemag