Há muito tempo todos esperam pela plataforma Fusion da AMD, um sistema muito promissor que unificaria em apenas um bloco, processador (CPU) e processador gráfico (GPU). No inicio de 2011 tivemos as primeiras amostras do Fusion chegando ao mercado, mas sistemas focados em netbooks e notebooks de até 12 polegadas que concorriam diretamente com a linha Atom da Intel. Apesar de consumir ligeiramente mais, possuía desempenho geral bem acima do que é oferecido pelo concorrente, tanto mercado como público adoraram e o Fusion é um grande sucesso da AMD.

Agora é a vez do lançamento da versão mais esperada do Fusion, agora destinada para desktops e notebooks maiores. O chip hibrido é construído no modelo de 32 nanômetros e deverá concorrer diretamente com a linha Core 2011 da Intel, prometendo um desempenho gráfico superior além de 10 horas de autonomia. A AMD lembra que, caso você seja um usuário de desktop, pode acrescentar uma placa de vídeo ao sistema, aumentando o desempenho em 75%, técnica essa chama de “Dual Graphics” (aguardamos o anuncio que o sistema desligue uma placa hi-end quando não utilizada). A família da série A da AMD é bastante extensa, incluindo sete modelos para notebooks dentro de três famílias. Os chips são muito sofisticados, oferecendo tecnologias como: Turbo Boost (que altera a velocidade dos processadores de acordo com a exigência), vídeo 3D, USB 3.0, DirectX11, OpenCL/OpenGL, AMD Wireless Display, e tanto memórias DDR3 1600 como DDR3 1333.

Parecendo voltar aos bons tempos dos Athlon 64, a AMD compara diretamente seus modelos com os disponíveis pela Intel, seus vários Fusion de 2 e 4 cores entram em concorrência direta com os Core i3/i5/i7. O mais interessante para os consumidores é a expectativa de preço dos notebooks empurrados pela plataforma AMD: entre $499 e $699 dólares. A empresa diz que dezenas de fabricantes colocarão Fusion em seus desktops e notebooks, então mesmo no Brasil, logo teremos a disposição uma excelente opção de compra.


Fonte: Engadget