Difícil encontrar uma pessoa que seja contra a adoção de bicicletas como meio de transporte em grande centros, estamos sufocado em meio a poluição e calor causado pela emissão de gás carbônico – caso você more numa cidade com mais de um milhão de habitantes, basta dar uma olhada para o horizonte ao final da tarde. Mas uma boa noticia surge para aqueles que ainda não acreditam nas vantagens das “magrelas” para ir e vir numa cidade grande. Segundo a pesquisa publicada pelo British Medical Journal, o uso de bicicletas é diretamente responsável por 12 mortes a menos no transito. Sim, parece estranho, mas faz sentido: Utilizando como base os 182.000 participantes do programa de aluguel de bicicletas em Barcelona, Espanha, foi visto que a diminuição na emissão de gás carbônico e o aumento na atividade física das pessoas superou, e muito, os riscos de uma maior exposição aos acidentes de transito. Os pesquisadores compararam a mesma situação, motoristas e ciclistas, e perceberam que mesmo um ciclista tendo um ligeiro aumento no risco de morte (aumento de 0,03%), o aumento da atividade física fez o número de mortes ser evitada, resultando em 12,46 de vidas salvas.

Mesmo o estudo sendo limitado segundo os próprios realizadores, ele simpatiza com resultados de outras pesquisas sobre o mesmo tema, demonstrando que o uso de bicicletas como meio de transporte público de massas é uma opção muito positiva, e que sirva de incentivo para aqueles que ainda tem receio de experimentar a bike. Vamos torcer agora para que políticas publicas abracem essa idéia.

Fonte: Inhabitat