Quando procuramos analisar a palavra “testosterona” e o seu significado, aqueles com a imaginação mais fértil certamente imagina um homem, enorme, barbado e com a voz grossa, um predador de fêmeas natural. Certo que nos dias de hoje isso não significa muita coisa para algumas mulheres, ainda é uma boa forma de explicar e também entender o hormônio do machão. Uma recente pesquisa realizada pela PNAS, indica que logo após se casar e ter filhos, homens tendem a diminuir, e muito, os níveis de testosterona em seus organismos. O estudo compara o caso dos seres humanos com o de animais, como os pássaros, onde a criação dos filhos pelo lado paternal é algo comum – com os pássaros, os níveis de testosterona se mantém equilibrados durante a fase criação dos filhos.

O estudo foi realizado em Cebu City, Filipinas, onde um grupo de 642 homens com 21 anos de idade tiveram sua saliva recolhida. Quando esses mesmos homens estavam com 26 anos, o processo foi repetido, mas claro, muitos estavam casados e com filhos. O resultado chama a atenção, pois mostra que homens que tiveram filhos logo após o primeiro recolhimento apresentaram níveis de testosterona muito inferiores ao de homens que se mantiveram solteiros, inferiores até mesmo se comparados aos daqueles que tiveram o primeiro filho nas proximidades do segundo recolhimento de saliva – apesar desses acusarem uma forte queda em curto espaço de tempo. Esse resultado sugere que tomar conta dos filhos sufoca a produção de testosterona nos homens.

Enquanto a testosterona é muito importante na hora de atrair parceiras, ele pode ser inversamente proporcional na estabilidade de uma relação, já que pesquisas anteriores indicam que homens com altos níveis do hormônio tendem a sofrer problemas matrimoniais com mais freqüência. Ao que tudo indica, filhos surgem na vida de um homem de forma a adaptá-lo a uma produtiva vida em família, um processo evolutivo, talvez.

Com informações, Arstechnica.