Discutir a história de um jogo de ação como Gears of War pode terminar até em briga, já que de um lado pessoas podem dizer que o jogo não passa de um filme do Stallone ou Schwarzenegger em forma de game, outros já conseguem perceber e valorizar ali interessantes formas narrativas. A escritora Karen Traviss, que trabalhou em livros que expandem o universo de Gears e hoje assumiu o posto de escritora da terceira edição da série, disse em um dos diários de desenvolvimento do game que, atualmente, boa parte da industria não parece se importar muito com a história e a narrativa nos games, desenvolvendo cenários simples, o que ela chama de “narrativa de garotinhas”. Desde que começaram a ser divulgados vídeos de Gears 3, percebe-se que muita carga emocional foi aplicada para fechar a trilogia da série, e em se tratando de um jogo de guerra, a escritora indica que se trata de um beneficio, pois os jogadores ficam mais imersos na história, onde vida e morte são discutidos a todo momento (a cada Locust decapitado, talvez).

Com informações, ComputerAndVideogames.