Numa conversa na última edição da revista PC Gamer do Reino Unido, Todd Howards, diretor da nova versão do épico Elder Scrolls, diz que é difícil comentar o salto tecnológico de Skyrim com o seu antecessor, Oblivion. Vale lembrar aqui que tal diferença é grande, de uma geração inteira aliás, tendo em vista que a terceira versão, Morrorwind, foi lançado para o primeiro Xbox, e Oblivion, a quarta versão, foi um dos jogos de lançamento do Xbox 360. Mas apesar do salto tecnológico não parecer tão grande aos olhos dos jogadores, é preciso lembrar de Oblivion como um dos jogos de lançamento do Xbox 360, momento onde a tecnologia era nova, e hoje, seis anos depois, a empresa consegue tirar da máquina tudo o que ela pode oferecer. Nas palavras de Howard, “difícil chamar a nova versão de ‘salto tecnológico’, já que a diferença tecnológica entre as duas versões anteriores foi enorme, mas as mudanças e melhorias no gameplay podem ser consideradas sim uma enorme melhoria”.

Perguntado se da mesma forma que Oblivion, a Bethesda não pretendia aguardar a nova geração de consoles para o lançamento de  Skyrim, Howard diz que “pensaram seriamente nisso”. “Nós queremos que Skyrim seja algo novo, não queremos que ele soe visual ou tecnicamente, ‘Ah, isso aqui é Fallout 3’, ‘Oh, isso aqui é Oblivion’. Se não conseguíssemos essa identificação no game, certamente teríamos aguardado os novos consoles”, finaliza.

Claro que o uso de uma nova engine gráfica ajuda muito Skyrim, ajuda MUITO, ao contrário da engine de Oblivion, que foi usada em todos os outros jogos da Bethesda nessa geração – e que deixava os games com “cara de jogo da Bethesda”. Outro fato importante é que lançar um grande game como esse para o PS3 e 360 garante um mercado de mais de 100 milhões de consoles, ao contrário de jogos de lançamento de um novo videogame, que não conta com boa base instalada de consoles, onde o lucro final tende a ser menor. Skyrim chega as lojas em 11 de Novembro de 2011 para Playstation 3, Xbox 360 e PC.

Com informações, Computer And Videogames.