Faz pouco tempo que a tecnologia 3D estereoscópica se tornou madura o suficiente de modo a ser aplicada as grandes massas, ela prometia uma experiência visual mais rica e excitante, apesar dos óculos e do ingresso mais caro no cinema. Há quem goste da tecnologia e acredite nela como uma “realidade do futuro”, por outro lado, a parcela dos contrários ao 3D é bem respeitável. De forma a entender melhor essa situação, a Panasonic, uma das grandes investidoras do 3D (e desenvolvedora das inovadoras câmeras usadas no filme Avatar), encomendou um estudo que em seu resultado demonstrou o seguinte: finalmente estamos abraçando a tecnologia 3D, nós estamos mais interessados.

O estudo realizado pela Frank N. Magid Associates, com um grupo de 500 pessoas, revelou que a experiência delas em vídeos com efeitos 3D é realmente um passo adiante em comparação com o tradicional 2D. 99% das pessoas que usaram o 3D disseram que a experiência foi “de alguma forma melhor” que a exibição tradicional, por outro lado, 71% afirmaram que o vídeo 3D é “dramaticamente melhor” que o 2D. De acordo com Eisuke Tsuyuaki, chefe de tecnologia para a Panasonic na América do Norte, “sempre acreditamos que, da mesma forma que aconteceu com a televisão em alta definição, uma vez que as pessoas experimentem o 3D, elas o transformariam no próximo objeto de desejo”.

Com óculos ou sem, sabemos que o 3D será transformado em uma tecnologia de massa nos próximos anos, basta tempo, e se até mesmo os early adopters (pessoas que compram novas tecnologias – e muitas vezes agem de cobaias) reclamavam da tecnologia, principalmente pela falta de conteúdo 3D para seus caros televisores, com mais variedade e preços mais competitivos, é basicamente uma questão de tempo.

Com informações, Techdigest.