AsiaD, Nvidia, CEO, Entrevista.

Foto: Asa Mathat

Durante a AsiaD, evento que acontece em Honk Kong onde CEOs e outros executivos de destaque no mundo da tecnologia discutem o mercado de hoje e amanhã, Jen-Hsun Huan, CEO da Nvidia, menos bronzeado e simpático como sempre, falou sobre os planos da empresa, além da sua visão sobre os chips móveis do futuro.

No inicio da conversa, Huan fala sobre o Windows 8, o primeiro sistema operacional da Microsoft a rodar em uma plataforma ARM, estrutura que a Nvidia usa na sua linha Tegra. O executivo torce para que a empresa de Steve Ballmer veja que há uma diferença nesse seguimento, tablets são diferentes de PCs, versões do Office para computadores não vão rodar nativamente no Windows 8 “mobile” porque a estrutura interna é diferente, mas ele espera que ambas compartilhem os mesmos arquivos, da mesma forma com que um Office de Mac abre arquivos de PC com normalidade.

Falando sobre chips, Jen-Hsun Huan lembrou como a Nvidia era uma empresa de um nicho fechado, mas com o tempo foi necessário  procurar outros mercados (ele não quis usar nomes, mas a Intel é muito responsável por isso). Com o desenvolvimento dos processadores ARM com chips gráficos Nvidia, a empresa rapidamente se tornou referencia na elaboração desses SOCs (abreviação de system on a chip) e nas palavras do próprio, 70% dos tablets não Ipad utilizam o Tegra. Ele precisava vender seu peixe, assim enfatizou as inovações da sua companhia, como o primeiro chip dual-core para dispositivos móveis, e agora com o Tegra 3, está entregando o primeiro chip quad-core.

Um ponto interessante da entrevista foi quando ele falou sobre o futuro, e a sua visão de como os processadores de dispositivos móveis devem copiar o modelo dos CPUs da Intel e AMD. Hen-Hsun disse que uma nova versão do Tegra demanda aproximadamente 1500 pessoas entre designers e engenheiros de software e dois ou três anos de desenvolvimento, muito tempo para um mercado tão ágil como o de dispositivos móveis, assim a estratégia já foi alterada, com três versões do Tegra sendo desenvolvidas em paralelo. Indo além, o executivo disse que em breve o desenvolvimento desses chips vai mudar, adotando um sistema como o da Intel, onde uma família de processadores são desenvolvidos com diferentes capacidades, suprindo as necessidades de um simples mp3 player, passando por um smartphone até um super tablet.

Finalmente, respondendo uma pergunta sobre automóveis, a platéia toma conhecimento que todos os próximos carros da Audi terão chips da Nvidia e o CEO ainda avisa “vocês verão muitos carros por ai com processadores Nvidia”. Nós aqui já conseguimos imaginar um sistema de GPS rodando o Google Eart, ou algo semelhante, mas ainda assim mapas em 3D muito detalhados.

Com informações, Engadget.

Com informações, Engadget.